Saiba quais são os 4 principais vícios ao volante

A manutenção em dia é fundamental para o bom funcionamento dos veículos, principalmente em uma frota. Quando isso não acontece os imprevistos passam a ser frequentes e sempre causam problemas no orçamento, seja pelo valor do conserto ou pelos dias sem poder utilizar.

Mas algumas vezes, quando o veículo vai para a manutenção, acabamos descobrindo mais defeitos do que aqueles previstos. O que poucas pessoas sabem é que algumas atitudes ao volante podem provocar esses problemas.

Alguns vícios podem influenciar na segurança do motorista e dos passageiros e também contribuem para o desgaste antecipado da mecânica. Vamos conhecer os principais agora.

Vícios ao volante que você precisa evitar

A boa notícia é que hábitos podem ser modificado. Nesses casos é preciso apenas atenção enquanto dirige para modificar a forma de conduzir assim que perceber o vício.

1.      Apoia a mão na alavanca do câmbio.

Muitas pessoas acabam adquirindo esse hábito, principalmente em veículos manuais, pensando em agilizar a troca de marcha. Mas essa atitude aparentemente inofensiva causa diversos problemas nas peças que compõem o câmbio.

Com o tempo esse desgaste dificulta a mudança de marchas e pode também comprometer o funcionamento das engrenagens do sistema. O conserto pode sair caro, e é um custo que poderia ser adiado por longos anos apenas com a mudança desse hábito.

Além disso, dirigir com apenas uma das mãos no volante caracteriza infração média, gerando multa e a perda de pontos na carteira.

2.      Manter o pé na embreagem.

Uma prática comum que muitas vezes nem é percebida é manter o pé apoiado na embreagem a todo o momento. A justificativa também é a de agilizar a troca de marchas.

Contudo esse é um dos vícios que mais causam problemas já que o sistema de embreagem multiplica o peso aplicado sobre o pedal em até 50 vezes. Dessa maneira, por mais leve que seja o toque, causará um desgaste nos discos, molas e rolamentos, reduzindo a vida útil desse sistema em até 50%.

O custo desse conserto é bastante alto e, mais uma vez, pode ser evitado ou postergado por longos anos apenas com a mudança desse hábito.

3.      Descer ladeiras em ponto morto.

Essa talvez seja uma das práticas mais comuns no trânsito. Muitas pessoas acreditam que dessa forma o veículo economiza combustível. Mas isso não é verdade.

Ao contrário, descer ladeiras com o veículo em ponto morto estressa o motor e sobrecarrega as pastilhas de freio. O veículo é feito para andar em velocidade baixa quando está em ponto morto, e por isso uma quantidade maior de combustível é injetada no motor, aumentando assim o consumo.

Outro problema é que sem a marcha engatada o veículo não tem controle da velocidade, que normalmente é realizada pelo freio motor. Desse jeito o controle acaba sendo feito apenas pelas pastilhas de freio, que podem não ser suficientes dependendo da velocidade, além de desgastarem mais rapidamente.

O carro pode ficar desgovernado e acabar causando um acidente. E justamente por esses motivos e pelo perigo, o hábito de circular com o veículo desengatado também é uma infração de trânsito, gerando multa e perda de pontos na carteira.

4.      Dirigir com o tanque de combustível na reserva.

Não existe vantagem alguma em manter o veículo na reserva. Ao contrário, o risco de ficar parado na estrada sem combustível é grande (o que também é uma infração de trânsito).

Outro problema é que, quando o veículo se movimenta com o tanque na reserva, as impurezas existentes no fundo podem ser sugadas pela bomba de combustível e causar entupimentos nos bicos de injeção e também causar sobrecarga nos filtros.

O combustível tem outra função pouco conhecida que é a de resfriar a bomba. Porém quando o tanque está sempre vazio, isso não acontece é pode haver um superaquecimento e até queimar a bomba de combustível.

Sabemos que os preços dos combustíveis estão altos e que esse é um dos principais custos de uma empresa que possui frota de veículos. Mas com o uso de ferramentas certas, é possível planejar e acompanhar o consumo para programar o orçamento evitar que o veículo ande sempre na reserva.

Utilizar um sistema de gestão de combustíveis, como o da DXtech, ajuda a empresa a projetar custos, a evitar fraudes e a garantir que os abastecimentos serão realizados apenas por pessoas autorizadas.

Combater os vícios ao volante é importante para preservar a vida útil do veículo, mas também para garantir a segurança dos motoristas e do trânsito. São mudanças simples que exigem apenas atenção e cuidado.

É preciso lembrar também que, quando falamos em frotas de veículos, as atitudes dos motoristas podem impactar a imagem da empresa, causando prejuízos importantes.

Agora que você conhece os principais vícios ao volante, aproveite para conhecer também as soluções exclusivas da DX Tech para o controle de combustível da sua empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

20 − oito =

Menu