Quais os principais riscos do transporte de cargas e como evitar.

Praticamente, nenhuma atividade está isenta de riscos. Para a logística, essa realidade não é diferente. A movimentação de cargas em rotas rodoviárias envolve obstáculos de diversas naturezas.

A gestão de riscos no transporte de cargas é uma das atividades mais relevantes para as empresas que atuam no setor. Essa metodologia busca compreender todas as etapas do processo detalhadamente, com o intuito de identificar desafios que podem afetar a organização.

Por conta de imprevistos, acidentes ou até descuido dos motoristas e profissionais envolvidos, o trajeto de uma carga pode ser comprometido, causando consequências como prejuízos materiais para a empresa e atrasos nas entregas.

A legislação define os requisitos básicos e obrigatórios para segurança no transporte de cargas, e cabe ao gestor de frotas respeitar as normas e também calcular riscos, a fim de minimizá-los e buscar soluções rápidas e eficientes para o caso de acontecerem.

São formas de gerenciar os riscos e evitar perdas para uma empresa:

  • Adotar as melhores práticas de logística para as operações;
  • Investir em tecnologia;
  • Utilizar controles informatizados;
  • Adotar meios modernos de comunicação;
  • Usar equipamentos de ponta.

Assim, para conhecer melhor os 5 principais riscos envolvidos na movimentação de cargas e saber como as transportadoras buscam evitá-los, continue lendo esse artigo!

  • 1. Condição das estradas

O mau tempo, estradas em péssimas condições e motoristas imprudentes nas vias sempre podem colocar a direção de um motorista de cargas em cheque, por mais habilidoso que ele seja.

Infelizmente, existem imprevistos que fogem do controle e das habilidades de um motorista. Sendo assim, é impossível eliminar todos os problemas que podem acontecer na estrada. Um caminho mais eficiente é reconhecer os riscos e tentar minimizá-los.

Para se prevenir contra problemas nas estradas, o gestor de frotas deve planejar melhor as rotas, buscando se informar sobre caminhos em melhores condições. Vias esburacadas, muito perigosas ou sinuosas registram altos índices de acidentes, sendo melhor evitá-las sempre.

Em caso de intempéries com o clima, como uma chuva torrencial ou forte neblina, é sempre mais seguro que o motorista encontre um local para se abrigar e esperar o tempo melhorar.

Em situações como essas, o profissional deve poder se comunicar com a empresa para que ela recalcule o prazo de entrega ou justifique o eventual atraso com o cliente.

  • 2. Problemas com sobrecarga

Mercadorias mal acomodadas no compartimento de cargas e o excesso do peso são os maiores responsáveis pelos acidentes nas estradas, como tombamento de veículos, danos em relação ao funcionamento do carro e avarias com os produtos.

Para evitar este tipo de problema, o planejamento é fundamental. Além de roteirizar os trajetos, o gestor também precisa avaliar algumas características do frete, como destino, peso e dimensões.

  • 3. Falta de capacitação dos profissionais

Muitos dos acidentes que acontecem nas estradas são causados por falta de conhecimento e capacitação dos motoristas em momentos de riscos. Para manter as operações seguras, a transportadora deve estimular uma cultura de direção defensiva e realizar constantes treinamentos.

Bons motoristas estão sempre se reciclando e dominam as boas práticas, independentemente do seu tempo de atuação na área. Simultaneamente, as empresas devem procurar contratar profissionais hábeis para a execução de serviços, além de investir em capacitação para sua equipe.

Todos os envolvidos nas operações logísticas são importantes e devem ter conhecimento sobre como funcionam os processos e equipamentos.

  • 4. Frota sem manutenção

Para realizar a viagem em segurança, os caminhões devem realizar a manutenção preventiva periodicamente.

Atualmente, softwares de gestão de frotas facilitam essa tarefa, controlando o agendamento de manutenções, reparos, trocas de pneus, entre outros. Também é crucial garantir que o veículo esteja bem abastecido.

Veículos com problemas causam não somente acidentes nas vias como, em muitos casos, obrigam o motorista a fazer reparos de emergência em oficinas clandestinas, além de paradas no meio do caminho, colocando em perigo sua integridade e a da carga.

O uso de softwares específicos para transportadora facilitam o controle e monitoramento das revisões realizadas na frota, além de contribuir para o melhor controle do consumo de combustível e rodízio dos pneus.

  • 5. Assaltos e roubos de carga

Os números de roubos de carga são alarmantes no Brasil e infelizmente não é possível prever quando uma situação como essa pode acontecer.

Para lidar com este risco, as transportadoras estão investindo na capacitação dos motoristas de caminhão e em tecnologias de monitoramento e rastreamento de frota.

A orientação é que os motoristas evitem ao máximo parar em lugares escuros e vazios, dessa forma conseguem reduzir o risco de cair em armadilhas criadas por criminosos.

No caso de abastecimento o ideal é contar com uma rede de postos confiáveis e também com um sistema de monitoramento dos veículos que permita somente os abastecimentos nos estabelecimentos parceiros.

Estes cuidados listados acima são essenciais para evitar os principais riscos do transporte de cargas, garantir a segurança do condutor e também ter a certeza de que a carga vai chegar ao destino final sem avarias.

Agora que você já conhece os principais riscos do transportes de cargas e como evitar , aproveite e conheça as soluções exclusivas da DXtech para o controle de líquidos da sua empresa, que garantem economia real e comprovada, aumentando a competitividade e o lucro da sua empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

9 + 11 =

Menu