Como montar uma tabela de frete.

Uma das partes mais importantes do trabalho de uma transportadora é gerenciar os preços cobrados pelos serviços prestados aos seus clientes. A melhor forma de realizar esse trabalho é através da criação de uma tabela de frete.

O transporte de carga envolve diversos aspectos e organizar os valores relativos aos serviços exige critério e atenção. Mas quando bem feito esse trabalho contribui com a saúde financeira da empresa, permitindo que sejam praticados valores justos e mais competitivos junto ao mercado.

Muitas empresas ainda têm dúvidas sobre a elaboração de uma tabela de frete eficiente, por isso hoje vamos ensinar algumas etapas importantes para que você crie a sua.

O que é uma tabela de frete?

Ela está presente no contrato com o cliente e determina os preços mínimos a serem praticados para as cargas fracionadas ou lotação. É possível cobrar o cliente de acordo no a quilometragem, peso da carga ou então outras especificidades.

Contar com essa ferramenta atualizada e sempre bem embasada ajuda a empresa a agilizar fluxo operacional, garantindo vantagens como:

  • Envio mais rápido de orçamentos para clientes;
  • Aumento da competitividade nos valores;
  • Análise de resultados mais eficiente;
  • Aumento da produtividade da equipe;

Em geral a tabela de frete precisa considerar alguns elementos e o primeiro passo para montá-la é levantar as informações.

  • Tipo de carga

Se a sua empresa transporta diferente tipos de carga, é fundamental precificar o valor do seu frete considerando cada um deles.

Algumas cargas exigem muito mais cuidados do que outras e também obrigam a transportadora a disponibilizar embalagens especiais e a ter um controle maior da temperatura, por exemplo, o que influencia diretamente no valor a ser cobrado.

  • Pontos de entrega e rota

Muitas estradas no Brasil estão em condições precárias, e colocam em risco a segurança da carga e dos motoristas, a manutenção dos veículos exigem um tempo maior de viagem.

Quando o veículo está com carga completa para apenas uma entrega, é mais fácil de planejar a rotas, porém quando existe carga fracionada, ou seja, diferentes clientes e endereços deverão receber as entregas. É fundamental considerar o trajeto a ser utilizado, o tempo e também a necessidade de rodízio em relação aos motoristas.

  • Quilometragem

Essa é fácil! Quanto mais longe for o trajeto, maiores serão os gastos com combustível, hospedagem e alimentação do motorista. Considerar esse elemento para montar a tabela de frete da sua empresa é fundamental.

  • Tipo do veículo para transporte

Com as informações relativas às cargas a serem transportadas é possível escolher um tipo de veículo que melhor irá atender as necessidades, cumprindo o trajeto pelo menor custo.

Dependendo da carga pode ser preciso utilizar algum equipamento ou adaptador para o serviço. Avaliar isso com antecedência é essencial para não ficar no prejuízo.

  • Cubagem

É esperado que o frete calculado para uma carga pesada ou muito grande seja maior, independente da quilometragem, pois esse tipo de transporte envolve um maior tempo de carregamento e aumentam o desgaste do caminhão.

  • Impostos

É preciso considerar os impostos devidos pelo transporte da mercadoria como ICMS, PIS e o COFINS, que são fixos. Além desses também podem existir taxas estaduais e municipais, assim como pedágios e tarifas que devem ser consideradas.

  • Cobranças adicionais

O transporte de mercadorias pode ter ainda outros custos como os custos de retorno, caso a região não ofereça facilidade para conseguir carga, tarifas de despacho, coleta atrasos e até mesmo um reentrega, margem de lucro e até mesmo custos diversos como manutenção, lubrificantes e combustível.

Como montar a tabela?

Com todas as informações em mãos é preciso calcular o frete peso, que é definido pela relação entre o peso bruto da carga e o peso cubado. O resultado com maior valor determina a cobrança, ou seja, se o espaço ocupado é maior do que o peso, o volume será considerado na conta.

Depois é a hora de definir o frete. Esse valor que é calculado com base no preço constante na nota fiscal, referente à mercadoria.

Por fim é possível adicionar taxas especiais como taxa de despacho, taxa de restrição do trânsito (TRT), taxa de dificuldade de entrega (TDE), os impostos e taxas, etc. O resultado de todos esses valores somados será o preço final que deverá ser cobrado pelo cliente e as variáveis que formam a tabela de frete da sua empresa.

Quanto menores forem os custos de transporte da sua empresa, mais competitivos poderão ser os preços cobrados. Sendo assim, é sempre importante buscar forma de reduzir e controlar os custos.

A DXtech oferece soluções exclusivas para o controle e redução dos custos de combustível dos seus veículos. Conheça nossos produtos e garanta uma maior eficiente no uso dos seus recursos financeiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

2 × 2 =

Menu